Voltar
JANELAS E PORTAS: SAIBA COMO ESCOLHER O MELHOR MATERIAL
6 Visualizações

O primeiro ponto a ser considerado é o tipo de esquadria, levando em conta questões como o uso e o desempenho esperado. “Devido à fachada comum em prédios, na troca de janelas em apartamentos deve-se acompanhar o manual técnico da construtora e verificar as regras de condomínio”, destaca Paula Passos, arquiteta à frente do escritório Dantas e Passos Arquitetura. Em reformas de casas, para não destoar das demais existentes, o fundamental é definir um modelo que combine com o estilo, cor e acabamento das demais janelas.


Para a escolha de materiais é preciso ficar atento. Em ambientes externos, é necessário utilizar materiais resistentes às intempéries climáticas. “Portas de madeira expostas ao sol e chuva tendem a estufar ou manchar. Versões com madeira maciça e tratada nos ajudam a solucionar essa preocupação a longo prazo”, relata Danielle Dantas, arquiteta à frente do escritório Dantas e Passos Arquitetura.


Outro cuidado a ser observado diz respeito aos tamanhos dos vãos e os tipos de abertura, que devem ser bem calculados e executados para evitar a entrada do frio ou a baixa iluminação. “Nada substitui o prazer de uma casa rica em iluminação natural e a janela é imprescindível”, diz Paula.


Vale lembrar também que é essencial buscar empresas competentes no mercado e que, de preferência, sejam especializadas no material definido, pois modelos de qualidade inferior ou mal instaladas ocasionam sérios problemas como infiltração de água de chuva, danificam com uma ventania forte, emperram ferragens e dificultam o manuseio no dia a dia. Acompanhe as características principais de cada material:

  • Esquadrias de alumínio: Bastante empregadas devido às vantagens do material, costumam registrar um preço superior. Em contrapartida, resultam em menor manutenção, são resistentes e duráveis – principalmente em áreas externas –, e estão disponíveis em diversas cores. Como ponto negativo, o baixo isolamento termoacústico pode influir no conforto da casa. Todavia, o emprego de vidros duplos e perfis maiores melhoram a performance.

  • Esquadrias de PVC: O material vem ganhando espaço nos projetos por conta da alta resistência, durabilidade e por não necessitar de muita manutenção. Internamente são estruturadas em aço e produzidas em diversas cores, simulando até o efeito madeira. Porém, ainda é um modelo considerado mais caro e pouco acessível.

  • Esquadrias de madeira: São sofisticadas, versáteis e sempre promovem um toque muito elegante às edificações, além de assegurar o sonhado conforto térmico e acústico. Como desvantagem, a necessidade de manutenção periódica, aplicação rotineira de vernizes e impermeabilizantes e cuidados contra cupins.

  • Esquadrias de vidro: O vidro precisa ter maior resistência, haja vista que utilizam perfis metálicos mais finos, e integram brilhantemente ambientes internos e externos sem muitas interferências visuais. O ponto negativo é que não pode compor todos os sistemas de abertura e configuram-se como mais frágeis em impactos mais fortes.

  • Esquadrias de ferro: Versáteis, são bem tradicionais, registram um bom preço no mercado, aceitam diversos sistemas de abertura e podem ser encontradas prontas ou confeccionadas sob medida. Porém, têm baixa resistência à oxidação e enferrujam mais facilmente, demandando manutenção maior. Por fim, não são indicadas em áreas litorâneas.

Fonte: Dantas & Passos Arquitetura/Assessoria Comunique-se

Foto: Maura Mello

6 Visualizações